TOP NEWS

"There is nothing more Badass than being who you are" - Darren Criss

quinta-feira, abril 26

Moda Antes e Pós 25 de Abril



Uma das muitas formas que o ser humano tem para se exprimir é o vestuário. Através dele mandamos uma mensagem, como a nossa personalidade ou até o nosso estado de espírito.
Na década de 60 “as senhoras (…) usavam malinhas na mão, com saias que travavam ou destravavam um pouco acima do joelho em passos curtos, calças muito poucas. (…) As elegantes compravam revistas estrangeiras (…), com moldes de papel para recortar e mandar fazer na D. Gertrudes ou na D. Laurinda ou encomendavam, nas boas casas de “alta costura‟ (…), uma toilette especial decalcada do atelier de um Diorou de um Balenciaga (…)”, descreveu Fernanda Câncio, jornalista.
No período antes do 25 de abril na baixa Lisboeta haviam poucas lojas onde se poderia comprar a dita “roupa da moda”. Os rapazes usavam calças à boca-de-sino e as raparigas mini-saias. Porém em 1972, Ana Salazarabre a sua primeira loja, a Maçã, e aí deu-se toda uma revolução no vestir pois, com ela, chegaram os mais que desejados jeans, que apenas estavam disponíveis em Londres. Tornando-se assim o vestuário, mais do que nunca, uma expressão da personalidade de cada um.
Nos meses seguintes à “Revolução dos Cravos” houve uma massificação da moda. Apareceram várias “boutiques” e grandes marcas o que despertou nos portugueses um desejo de acompanhar a moda e o interesse no vestir melhor começou a aparecer. As mulheres libertaram-se das “peças grandes” como os conjuntos saia-casaco e fatos completos, para os homens, deixou de ser formal e ganhou um toque colorido. Desenvolveram-se as peças práticas e descontraídas (blusões, t-shirts, sweaters).
Hoje em dia a liberdade que imperou continua. As mulheres rejeitam a roupa desconfortável e dá-se mais atenção ao vestuário masculino.
A moda tornou-se um factor muito importante para compreender os comportamentos e acontecimentos ao longo dos anos. Antes do golpe de estado não havia liberdade nem incentivo suficiente à moda, da parte do estado. Além disso, os portugueses não foram estimulados para a criatividade, por isso não se interessavam pelo vestir. Só depois de 74 é que houve uma estandardização e individualização das pessoas e assim foi possível que a moda se começasse a desenvolver.
(artigo de minha autoria publicado em nstylemag.com)
Vê mais no Fb da revista: facebook.com/nstylemagazine

4 comentários:

Gabriel Duarte disse...

Olá, te encontrei em lookbook! Gostei muito da sua moda e blog estou a seguir!Tenhas um bom final de semana

http://www.gabriellduarte.blogspot.com.br/

Rafael Marques disse...

Gostei imenso do teu blog :)

Mariana disse...

Gostei do texto, e essa fotografia está tão gira!
Beijinho, Mariana do blog Miss Tangerine :)

Teresa disse...

Gostei bastante do blog :)